O que é preciso para ser um bom profissional de marketing digital?

Quando analisamos os números dos grandes players do mundo, como YouTube, Google, Orkut, Facebook, Twitter e MSN, temos um panorama do quanto os brasileiros são apaixonados pela web. Se o Brasil não é líder em acessos, está em 2º lugar e, fora isso, mesmo que apenas 35% da população tenha acesso à web, desde 2007 o Brasil é o país que fica mais tempo conectado em todo o planeta, superando os EUA, que têm 80% da população com acesso à web; lembrando também que nos EUA a população é maior que no Brasil.

Diante desse cenário, várias marcas começaram a olhar com outros olhos para a web e começaram a entender que Internet vai além do banner na home do portal. Internet é um canal de vendas, claro, mas também é um canal de relacionamento, interação, entendimento, pesquisa, análises e conversas entre marcas e consumidores.

» Curta a página da Imagine no Facebook

Em recente evento da IAB Brasil (Interactive Advertising Bureau), Malu Lopez diretora de mídia da Unilever, disse que a empresa já analisa a web como "um canal de contato e aproximação". Ela afirmou que ele não deixam "de fazer campanhas, mas entendermos o digital é muito mais que um meio de mídia". Essa afirmação demonstra o quanto a empresa, um dos maiores anunciantes do mundo, já está olhando para a web com outros olhos.

Lopez afirma que para os próximos anos a Unilever ainda deseja investir em Redes Sociais e Mobile, já deixando claro que vão apostar na presença digital da marca, pensando além do banner na home de portal.

As marcas estão começando a entender que a entrada no mercado digital deve ser feita, porém de forma estratégica e com entendimento. O dinheiro das verbas "offline" está migrando para o digital muito rapidamente, pois está se percebendo que o consumidor está saindo da TV para a web cada vez mais, e esse fenômeno ocorre com mais velocidade de pegarmos as gerações X e Y.

O que hoje conhecemos como "mundo online e mundo offline" tem tudo para se convergirem em um só mundo: o mundo do consumidor. Por isso, é importante que os nativos digitais das agências e anunciantes conheçam sobre TV, rádio, jornal e revistas, assim como os tradicionais profissionais conheçam sobre mobile, blogs, Facebook, Twitter entre outras ferramentas.

As agências digitais têm e terão, cada vez mais, papeis importantíssimos nessa entrada das marcas no mundo digital; por isso, tanto agências como departamentos de marketing dos clientes precisaram cada vez mais de profissionais qualificados, profissionais que entendam de planejamento, consumidor 2.0, mídia, otimização, web 2.0, inovação, e-commerce, redes sociais, buscadores, criação, métricas, branding digital, links patrocinados, arquitetura da informação, games online, blogs, usabilidade; claro que não tudo sempre a fundo, mas com boas noções e com mais aprofundamento em algumas. A expansão desse mercado trouxe diversas profissões e habilidade, mas infelizmente nem todos os centros educacionais estão preparados para isso, e chega-se à conclusão de que há muita oferta e pouca gente especializada.

Expansão X falta de profissionais

Esse fator está levando as agências e os anunciantes a pagarem até 17 mil reais de salário a profissionais qualificados, profissionais que entendem a dinâmica da Internet e podem fazer a diferença no negócio do cliente, tendo a web como plataforma.

Porém, atualmente, não temos uma mão-de-obra qualificada a altura da demanda do mercado. Segundo o diretor de marketing da ABRH-Nacional (Assoc. Brasileira de Recursos Humanos) Marcos Felipe, "existe defasagem no processo de formação e de tempo de produção de conhecimento. O tempo que se leva para educar uma pessoa é mais lento do que o necessário, em termos de mercado". E muito disso acontece porque os milhares de cursos de comunicação, publicidade e marketing no Brasil ainda focam seus ensinos em GRP e não em CTR (GRP é uma medida de mídia para a compra de comerciais na TV e CTR é a medida de retorno de clicks em um banner em um site)

Uma dica para conseguir se destacar no mercado, além de ler bastante livros, sites, blogs e revistas da área é correr atrás de cursos com foco em marketing digital. Existem alguns (poucos, é verdade) que abordam os temas, e desses existem alguns que realmente valem a pena. Cursos de pós-graduação e MBA estão surgindo no Brasil inteiro e com grande sucesso, como é o caso da Faculdade Impacta de Tecnologia, que está oferecendo uma pós-graduação em Marketing Digital, sem falar em tantas outras instituições de respeito.

Para Max Pretrucci, presidente da Garage, uma das mais importantes agências digitais do país. "quando o profissional quer entrar em um mercado em formação, a melhor escola são as empresas com empreendedores, profissionais com quem você sabe que vai aprender". Lembre-se disso quando for procurar a sua especialização.

Fonte: iMasters

Artigos relacionados

Marketing Digital está ocupando cada vez mais espaço e importância no Mix de Marketing

Minha intenção para esse post é de forma bem simples, dar uma repassada no contexto Mix de Marketing Digital, pois certamente...

Descubra qual é o melhor antivírus para o seu PC

Divulgação de relatórios semestrais ajuda na escolha da proteção ideal. Confira os testes com os principais programas contra ...

Combinando mídias para chegar aos consumidores

Daniel tem trinta e poucos anos, gosta de cozinhar e reunir os amigos em casa. Boa-praça e boa-pinta, é daqueles sujeitos que...
 

Imagine Comunicação Digital

Av. Treze de Maio, 1116, Sala 1901, Fátima | CEP: 60040-530 | Fortaleza - CE - ver no mapa | Google+

Telefone: +55 (85) 3032-9525 | Email: atendimento@imagineseusite.com.br | Siga nas redes:

© Imagine Comunicação Digital