Tem medo de comprar na web? Manual traz dicas de segurança

Cuidados ajudam a fazer compras on-line para o Natal; ainda dá tempo. Segurança com computador, sites e pagamento estão entre as dicas.

Altieres Rohr

Está cada vez mais difícil ignorar as ofertas na internet. Às vezes, o valor é menor do que na loja física – apesar do custo do frete –, e a diversidade de marcas e modelos presente nas opções na rede é inigualável. Se você ainda tem medo de realizar compras on-line, por qualquer motivo, este “manual” da primeira compra na internet pode ajudá-lo a fazer sua primeira aquisição na rede. Com essas dicas, você poderá fazer compras on-line da Natal com segurança. Ainda dá tempo!

» Curta a página da Imagine no Facebook

Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados, etc), vá até o fim da reportagem e utilize a seção de comentários. A coluna responde perguntas deixadas por leitores todas as quartas-feiras.

No ano passado, também na época do Natal, a coluna divulgou os “dez mandamentos” para realizar compras na internet. Eles ainda valem e alguns deles são novamente mencionados nas dicas abaixo.

Capítulo 1: O computador

Não há compra com segurança em computador inseguro. Tenha um antivírus instalado, atualizado e realize um exame completo antes de fazer o pagamento (porque é no pagamento que algumas informações podem ser roubadas). Não use computadores públicos.

Nesta época, uma série de golpes temáticos envolvendo natal e final de ano circulam na rede: o G1 já mostrou os que circularam no ano passado. Esses golpes levam as vítimas a sites falsos que roubam dados ou contém vírus com a mesma finalidade. Evite-os para manter seu computador seguro.

Se você vai usar um notebook para a compra, faça-o em casa. A fabricante de antivírus Symantec alerta que você precisa tomar cuidado ao digitar senhas e dados bancários em locais onde pode ser visto por desconhecidos. Também não utilize conexões sem fio públicas ou inseguras (veja aqui como proteger sua rede sem fio).

Capítulo 2: A loja

A Symantec dá a seguinte dica: “não compre em uma loja virtual que você desconheça ou não tenha referência. Não se baseie apenas no número de opiniões positivas de usuários de sites de pesquisa de preços, pois algumas lojas turbinam os próprios números criando feedbacks positivos comentando sobre vendas que nunca ocorreram”.

Outro ponto importante – e aqui a coluna diverge da recomendação de algumas empresas de segurança – é ignorar qualquer “selo” que ateste a segurança do site. Não é possível verificar adequadamente a veracidade do selo, e um site falso pode colocar imagens de selo sem qualquer dificuldade. Por isso, embora alguns selos sejam de empresas ou organizações confiáveis, eles ainda não têm qualquer valor prático devido à facilidade com que podem ser abusados por criminosos.

Na verdade, apenas lojas legítimas – que precisam zelar pelo seu negócio e têm medo de sofrer processos – é que não podem usar os selos de forma indevida.

Tente pesquisar na web para descobrir referências sobre a loja. Use a dica desta coluna para verificar o cadastro do CNPJ da empresa. Fazendo uma pesquisa por um determinado programa de computador há algumas semanas, a coluna encontrou um site que vendia softwares e que estava com o CNPJ irregular por cinco anos.

O Centro de Atendimento a Incidentes de Segurança da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (CAIS/RNP) dá também a seguinte dica: “sites sem reputação com preços bons demais são suspeitos. Você pode não receber o produto, colaborar com a sonegação de impostos ou ter seus dados financeiros utilizados por terceiros”.

Se você vai tentar arriscar com uma loja que ainda não conhece ou não tenha referências – o que não é recomendado, na verdade –, atente para o produto que está comprando. Alguns podem levá-lo mais facilmente a locais fraudulentos e pode ser preferível que, se quer um destes, que volte a buscar uma compra em uma loja mais confiável.

Capítulo 3: O produto

Segundo informações do CAIS/RNP, produtos populares como “MP3 players, câmeras digitais, smartphones, laptops, TV LCD e navegadores GPS” são iscas comuns para atrair possíveis compradores a lojas fraudulentas, que não entregarão os produtos ou roubarão os dados dos clientes.

Não quer dizer que você não possa comprar esses produtos na web. Você pode. Mas é necessário atenção redobrada na hora de fazer a pesquisa pela melhor compra.

Outra questão são produtos falsificados. Um levantamento da Symantec feito em parceria com a MarkMonitor aponta que 24% dos resultados de pesquisa por produtos na web, com base em sites de língua inglesa, levam a sites com produtos falsos ou piratas. É o caso de joias, acessórios ou bolsas “de marca”.

Seja qual for o produto do seu interesse, pesquise preços em vários sites, inclusive em sites especializados nessa tarefa. Não se limite a apenas uma loja. Assim você tem noção do preço do mercado e poderá desconfiar caso alguma oferta seja “boa demais”.

Capítulo 4: O pagamento

Enquanto estiver realizando a inserção de dados pessoais e do cartão, atente para a presença do “cadeado de segurança”. Isso significa que o site está usando a tecnologia SSL para proteger seus dados contra roubo enquanto eles estiveram em trânsito na rede. Mas importante: simplesmente a presença do cadeado de segurança não garante que a compra será segura ou que a loja é confiável.

Para as lojas que oferecem, Sedex a cobrar é sem dúvida a forma de pagamento mais segura. Você só paga quando recebe o produto. Cuidado com débitos diretos na conta. De acordo com o CAIS/RNP débitos automáticos não autorizados são uma “prática frequente”.

O cartão de crédito tem a mesma segurança. Se você não receber o produto, pode contestar a fatura junto ao banco, afirmando que nunca recebeu. Esse processo, conhecido como “chargeback”, garante que você terá seu dinheiro de volta caso a mercadoria não seja entregue. Gera alguns transtornos, mas nenhum dinheiro é perdido.

Por outro lado, criminosos também podem roubar os dados do cartão se o seu computador estiver com algum vírus. Se você quer evitar isso, pode pagar no boleto bancário. Porém, no caso de boleto, fica mais complicado contestar.

Se preferir, na maioria dos casos é possível realizar compra, ou pelo menos o pagamento, por meio de um LiveCD com Linux. Isso garante um ambiente seguro para a digitação dos dados do cartão de crédito.

Vale lembrar que, uma vez recebido o produto, independentemente da forma de pagamento, você pode, pelo Código de Defesa do Consumidor, pedir devolução do dinheiro em até 7 dias após o recebimento.

Fonte: g1.globo.com

 

Artigos relacionados

Redes Sociais: Orkut, Twitter, Facebook e outras. O que são? Qual o potencial? Como colocar empresas?

O brasileiro é  social por natureza. Com o avanço das tecnologias e o advento da internet, a comunicação foi além das rodas d...

Como monitorar suas ações nas redes sociais

O ponto mais importante de uma ação de marketing digital é o monitoramento. O monitoramento é o grande diferencial de uma ...

Faça uma autoanálise da sua loja virtual

Sempre penso nas micro e pequenas empresas quando vou escrever, pois admiro muito essa nossa massa de empreendedores brasilei...
 

Imagine Comunicação Digital

Av. Treze de Maio, 1116, Sala 1901, Fátima | CEP: 60040-530 | Fortaleza - CE - ver no mapa | Google+

Telefone: +55 (85) 3032-9525 | Email: atendimento@imagineseusite.com.br | Siga nas redes:

© Imagine Comunicação Digital